pt

“O desafio de criar um ginásio diferenciador, que quebrasse com os estereótipos dos ginásios habituais, levaram á conceção da Academia 20 um ginásio com identidade própria. 
O ponto de partida foram 2 pavilhões industriais devolutos, presos a um loteamento na zona industrial de espinho, onde os limites do espaço, e a relação exterior/interior estavam definidas logo desde o início. 
A organização interior foi estruturada tendo como principal enfoque o espaço da área de treino, mas sem perder de vista toda a envolvente de apoio que é fundamental para o funcionamento do ginásio.

A receção assume-se como um espaço de boas vindas, sendo a partir dele que faz toda a distribuição, possuindo uma permeabilidade visual sobre a área de treino, permitindo que haja um contacto direto. A fronteira entre treino e espaços de apoio é delimitada por uma parede de vidro a todo o seu comprimento.
A receção assume também o papel de distribuidor, encaminhando para o bar e área de acesso reservado aos sócios.

A ideia de implementar um Bar, como sendo um programa acessório, tem como objetivo criar uma sala de estar para os seus utilizadores. A estrutura organizativa foi desenhada de forma a que o bar pudesse ser usufruído pelos sócios bem como pessoas externas ao mesmo. Através da permeabilidade visual que existe entre o bar e área de treino pretende-se que cative as pessoas a usufruírem do ginásio.

A área reservada aos sócios para além da zona de treino é constituída pelo balneário para pessoas de mobilidade reduzida, balneários dos professores, gabinetes de apoio ao socio, para consultas de nutrição, avaliações físicas e massagens, no primeiro andar situam-se os balneários para o publico geral.

A área de treino assume-se como um open space, com uma clareza formal as suas linhas retas caracterizam-no. Um teto que transmite através das suas coberturas inclinadas a unidade industrial que foi anteriormente, pautado pelas suas claraboias que permitem a entrada de luz natural que intensificam as formas do espaço interior e  alcançam a vida e identidade que pretendemos transmitir . Tudo em sinergia com a sua leveza e calma transmitida pela cor branco, pretende-se que o seu utilizador se sinta tranquilo e focado no seu treino, deixando lá fora todo o stress citadino.

Através da área de treino acedemos às salas de aulas, localizadas no 1º andar, duas localizadas no primeiro pavilhão, e uma terceira localizada no segundo pavilhão, por cima do Bar.

Finalizando, toda a harmonia interior é fechada com o seu exterior como se de uma caixa se tratasse. Revestida com placas perfuradas, permitindo que a energia criada no seu interior possa ser transmitida para o exterior. 

Acima de tudo, o nosso pensamento esteve focado no pressuposto de que a Academia 20 deveria ser um ginásio para todos, mais do que um espaço de treino um local de convívio e confraternização, dentro de um espaço moderno e atual.”

texto. Diogo Machado.

localização.Espinho
ano. 2019
cliente.Academia20
arquitetura.Studioworkers
fotografia.Ivo Tavares Studio

en

The challenge of creating a differentiating gym, breaking with the stereotypes of standards gyms, led to the design of Academia 20 a gym with self-identity.
The starting point were two industrial pavilions, locked to an allotment in the industrial zone of Espinho, where the limits of space and the relation between exterior and interior were defined from the beginning.
The interior organization was structured with the main focus on the training area, but without losing sight of all the support program that is fundamental to the operation of the gym.

The reception is defined as a welcome space, from which all the circulation takes places, witha visual permeability towards the training area, allowing a direct contact with this area. The boundary between training and support program is defined by a glass wall throughout its length.
The reception also assumes the role of distributor, leading to the bar and access area reserved for gym members.

The idea of ​​implementing a Bar, as an accessory program, aims to create a living room for the users. The organizational structure was designed in a way that the bar could be enjoyed both by the members as well as general public. The visual permeability between the bar and training area is intended to entice the people to enjoy the gym.

In addition to the training area, the zone reserved for the member consists of a changing roomfor people with reduced mobility, trainers changing room and members support offices: nutrition consultations, physical assessments and massages. The changing rooms for the general public are located on the first floor.

The training area is conceived as an open space, characterized by its formal clarity, straight lines and a ceiling that through its pitched roofs, transmits us the industrial unit that existedpreviously. The roofs, marked by the skylights that allowing natural light, intensifies the forms of the interior space and achieve the life and identity that we intend to transmit. All in synergy with its lightness and calm, transmitted by the white color, it is intended that the user feel calm and focused on the workout, leaving out all the city stress.

Through the training area we reach the classrooms located on the first floor, two located in the first pavilion, and a third located in the second pavilion, above the bar.

At last, all the inner harmony is enclosed from the context as if it were a box, encased with perforated plates, allowing that the energy created inside to be transmitted to the outside.

Above all, our thought was focused on the assumption that Academia 20 should be a gym for all, more than a training space, a place for socializing and fraternization, within a modern and contemporary space.

text. Diogo Machado.

location.Espinho
year. 2019
client:Academia20
architecture.Studioworkers
photography.Ivo Tavares Studio