pt

“O terreno, de forma não regular, desenvolve-se perpendicularmente à estrada nacional no 333 em Águeda.

Tendo em conta as condicionantes regulamentares do PDM e os regulamentos municipais, a proposta de implantação foi desenhada por forma a respeitar as suas especificações.
A proposta partiu de um paralelepípedo com as dimensões de 100 m de comprimento por 32 m de largura. Dadas as condicionantes do regulamento, e à irregularidade do terreno, a sua forma inicial sofreu alterações, por forma a respeitar todas as especificações.
Em termos de cércea, o regulamento prevê uma altura máxima de 9 metros. Para dissimular o caracter de paralelepípedo, o edifício foi partido em 3 alturas (2,5 – 2,5 – 4).

Em termos de programa funcional, e dada a especificidade do mesmo, percebeu-se desde logo que o edifício se poderia desenvolver em 2 pisos: piso 0 (R/C) e piso 1.
Na mesma lógica, percebeu-se que a separação do programa podia ser feita em 3 áreas distintas: a exposição; de escritórios e de armazenagem.

Assim, e em termos de programa funcional, o edifício desenvolve-se no rés do chão com a zona mais pública e de fácil acesso compreendida com a zona de exposição e a zona de armazenagem. Em termos de distribuição no terreno, a zona mais pública e de exposição fica junto à rua principal (nacional 333) e a zona de armazém na parte de trás do terreno e com um acesso secundário. No piso 1, e na zona mais privada e de acesso restrito, os escritórios e zona de bar / refeitório.
Como forma de apoio a estas duas zonas, foi criada uma plataforma exterior (terraço) no piso 1. Esta zona fez com que se pudesse criar uma desmaterialização no paralelepípedo inicial.

No que concerne à materialidade do edifício, optou-se pela simplificação do sistema construtivo, sendo o edifício todo revestido com o mesmo material (chapa ondulada de cor escura) e na zona de entrada e exposição assumir uma maior transparência, tendo-se optado por um revestimento em murolux e caixilharia em vidro.”

texto. Nuno Silva.

localização.Águeda
ano. 2019
arquitetura.Nuno Silva – Nu.ma arquitectos
fotografia.Ivo Tavares Studio

en

“The lot, where the project is inserted, has a non-regular shape, perpendicular to EN333 in Agueda, Portugal.

Taking in account the regulations and municipality rules, the building was inserted to respect this rules and take in account the maximum permitted area to build.
The proposal start as a regular shape (rectangular) with the dimensions of 100m x 32m
Taking in account the regulation, this form was re-shaped to respect all the specifications.
Concerning the height of the building and because it has 9 meters high, we decided to split his facade in 3 parts (2,5m; 2,5m; 4m)
This also served to establish some rules regarding the design of windows; doors; etc

In terms of the program and taking in account the particularity of the functionality of the company, we notice that this should be built in two stores.
In the same logic, the program should be split in 3 different areas: exhibition; offices; warehouse

The building is organised:
Ground floor, the public access with the exhibition area and the warehouse (controlled) were the exhibition is located near the principal road (EN.333) and the warehouse in the back of the terrain (with a secondary entrance). On the first floor, the private zone of the company and with restrict access, were is located the office zone and bar/ canteen.

Regarding the materiality of the building, we simplify all the construtura system. All the building is in corrugated sheet, and in the exhibition area we assumed a transparency of the building bringing the connection of the building it self with the public.

text. Nuno Silva.

location.Águeda
year. 2019
architecture.Nuno Silva – Nu.ma architects
photography.Ivo Tavares Studio