pt

“O terreno de intervenção é uma parcela com 251,42 m2 onde originalmente se encontravam implantados dois edifícios, habitações unifamiliares, em avançado estado de degradação / ruína.

A proposta assentou num projecto de alteração e ampliação dos edifícios e sua conversão em edifício multifamiliar, procurando manter e de certo modo, recuperar a identidade que os caracterizava, introduzindo uma linha mais contemporânea ligando os dois momentos histórico-temporais. 

A fachada voltada à Rua da Alegria foi integralmente recuperada, introduzindo-se um piso superior recuado que, sendo resultado de opções conceptuais assentes numa análise da arquitectura existente, se assume como um elemento contemporâneo. O alçado posterior foi reformulado volumetricamente de forma a se obter uma linguagem coerente e coesa do conjunto. Através da consolidação dos alinhamentos com as fachadas existentes nos edifícios contíguos, a proposta procura um enquadramento urbano uniforme. Ponderada esta questão urbanística, a intervenção concentrou-se na reorganização dos espaços interiores.

Ao nível programático o edifício desenvolve-se em quatro pisos acima da cota de soleira com utilização habitacional, desenvolvendo-se 3 unidades habitacionais por piso e apenas 2 no piso 3, “recuado”. 
Deste modo, à face da rua da Alegria está definida a entrada do edifício que permite o acesso aos programas descritos acima, através de corpo central de comunicação vertical – escadaria. 

O piso 0 organiza-se segundo uma abordagem simples: zona de entrada com acesso pela Rua da Alegria, átrio de distribuição e respectiva “caixa” de escadas e 3 unidades de habitação – uma unidade habitacional com tipologia T0 voltada para a Rua da Alegria; uma unidade habitacional com tipologia T1 voltada e com relação directa com o logradouro interno; e uma unidade habitacional com tipologia T1 com frente para a Rua da Alegria e para o logradouro interior.

O piso 1 e 2 apresentam o mesmo número de unidades habitacionais sendo o acesso realizado pela “caixa” de escadas central e respectivo átrio de distribuição. As 3 unidades de habitação de ambos os pisos são de tipologia T1. No piso 1 e 2 as unidades com frente para a área de logradouro têm varanda e a separação entre tipologias é realizada através de um vidro temperado laminado.

O piso 3, recuado, apresenta apenas 2 unidades habitacionais de tipologia T1 com acesso pela “caixa” de escadas e respectivo átrio de distribuição. O recuo da volumetria permitiu a criação de varandas nas 2 frentes. Por sua vez, ambas as unidades de habitação têm as áreas privadas voltadas a Nascente (fachada Rua da Alegria) e suas áreas sociais voltadas a Poente (fachada posterior), para o logradouro.

A selecção de materiais e dos sistemas construtivos prende-se com a necessidade de relacionar os sistemas de construção existentes e os métodos actuais de construção, tendo como premissa destacar a identidade do edifício. “

texto. Mimool Arquitetura & Design de Interiores.

localização.Porto
ano. 2019
arquitetura.MiMool Arquitectura & Design de Interiores
fotografia.Ivo Tavares Studio

en

The intervention area is a plot with 251,42 m2 where originally two buildings, single-family houses, were in an advanced state of degradation / ruin.

The proposal was based on a project to alter and expand the buildings and their conversion into a multifamily building, trying to maintain and recover the identity that characterized them, introducing a more contemporary line connecting the two historical-temporal moments.

The façade facing Rua da Alegria was fully recovered, introducing a raised upper floor that is the result of conceptual options based on an analysis of the existing architecture, as a contemporary element. The back elevation was reformulated volumetrically in order to obtain a coherent and cohesive language of the set.By consolidating alignments with existing facades in contiguous buildings, the proposal seeks a more cohesive urban setting. Considering this urban issue, the intervention focused on the reorganization of interior spaces.

At the programmatic level, the building is developed on four floors with housing use, developing 3 housing units per floor and only 2 on the 3rd floor.The access to the building is made through Rua da Alegria, where the main door allows access to the program described above, through a central vertical communication body – staircase.

Ground floor is organized accordingly to a simple approach: entrance area with access through Rua da Alegria, distribution hall and respective “box” of stairs and 3 housing units – a housing unit with typology T0 facing Rua da Alegria t; a housing unit with typology T1 with direct relation with the internal courtyard; and a housing unit with typology T1 facing Rua da Alegria and the interior patio.

1st and 2nd Floor have the same number of housing units and the access is made by the central stairwell and its distribution hall. The 3 units of housing of both floors are typology T1. On the 1st and 2nd floors the units with front to the patio area have a balcony and the separation between typologies is carried out through a tempered laminated glass.

The 3rd floor, recessed, has only 2 housing units of typology T1 with access by the “box” of stairs and respective atrium of distribution. The retreat of the volumetry allowed the creation of balconies on two fronts. Both housing units have the private areas facing East and its social areas facing Weast (posterior elevation), to the backyard.

The selection of materials and construction systems is related to the needs of the existing building systems and the current methods of construction, with the premise of highlighting the identity of the building.

text. Mimool Arquitetura & Design de Interiores.

location.OPorto
year. 2019
architecture.MiMool Arquitectura & Design de Interiores
photography.Ivo Tavares Studio