FOTÓGRAFO DE
ARQUITETURA

IVO TAVARES
STUDIO

Casa HC

Casa HC

Casa HC em Aveiro de Sonia Cruz Arquitectura e fotografias de Ivo Tavares Studio
Feita de tijolo à vista e abraçada pelo betão esta é a Casa HC, desenhada pela arquiteta Sónia Cruz.
Made of exposed brick and embraced by concrete, this is Casa HC, designed by architect Sónia Cruz.
Casa HC em Aveiro de Sonia Cruz Arquitectura e fotografias de Ivo Tavares Studio

INFORMAÇÃO TÉCNICA / TECHNICAL INFORMATION

ATELIER DE ARQUITETURA / ARCHITECTURE OFFICE
ARQUITETO RESPONSÁVEL / MAIN ARCHITECT
Sónia Cruz
COLABORAÇÃO / COLABORATION
Rui Vieira
LOCALIZAÇÃO / LOCATION
ANO DE CONCLUSÃO DA OBRA / YEAR OF CONCLUSION
ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA (M2) / TOTAL AREA
380m2
FOTÓGRAFO / ARCHITECTURAL PHOTOGRAPHER

DESCRIÇÃO DO PROJETO / PROJECT DISCRIPTION

"A base de trabalho é um programa de uma habitação unifamiliar de 2 pisos que responda a vivências urbanas, e uma parcela em zona expectante de expansão da cidade de Aveiro. A implantação da construção é condicionada pela exposição solar, morfologia da parcela e perfil do arruamento. O volume surge da intenção de virar os compartimentos para sul, passando o programa complementar para norte. Deste lado, onde o volume se encosta ao limite do terreno, o corpo é estreito semelhante à escala das parcelas vizinhas e, à medida que se percorre a rua, o verdadeiro volume da habitação é revelado. Pretende-se a leitura de um volume regular e estático envolto por uma cinta de betão aparente. Esta cinta, plástica, assume a relação com os limites da parcela e proporciona uma leitura distinta consoante o ângulo de aproximação ao objeto construído. Ao mesmo tempo que é pala, pérgola, guarda e peitoril, este elemento tem uma função estética desconstrutiva do volume principal conferindo-lhe leveza e controlo de escala. O revestimento com tijolo face à vista, cor cinza, aproxima a matéria aos tons terra, enquadrando nos campos envolventes e destacando a cinta. A organização interior da casa é pragmática e intuitiva. No encosto situa-se a garagem que permite acesso à habitação pela entrada principal e pela cozinha num percurso de serviço que atravessa a lavandaria. A entrada concretiza- se a par com a garagem. É um ponto rótula do programa da casa onde distribui para a área social, percorrendo o corredor, ou a zona íntima subindo a escada. A área social é composta por sala e cozinha que se relacionam entre si, embora possam constituir espaços independentes. O exercício de encerrar e abrir os espaços busca a sua flexibilização e adaptabilidade a novas vivências/situações. Ainda no piso térreo, encontram-se uma instalação sanitária (IS) de serviço e um quarto com IS. Este último será o espaço que assumirá um propósito mais volátil. No piso superior situam-se 2 quartos que partilham uma varanda a sul e são servidos por uma IS, e, a nascente, o quarto principal com zona de vestir, IS e pátio. Este pátio serve como espaço íntimo do quarto principal e forma de iluminar os espaços de circulação. Os espaços interiores têm uma permanente relação com o exterior através dos vãos, pátios e alpendres. A caixilharia escolhida, sistema galandaje, concretiza uma ligação franca sem obstáculos. Na conceção dos espaços deu-se primazia a materiais e equipamentos de produção nacional, como o tijolo face à vista, caixilharia, cerâmicos, equipamentos sanitários e carpintarias. O comportamento energético da casa é beneficiado pela exposição solar, sendo necessário acionar o aquecimento por mecanismos ativos apenas nos 2 meses mais frios. Este desempenho é assistido por um sistema de ventilação mecânica controlada de duplo fluxo. Na época quente, a incidência solar é controlada pela cinta de betão que protege os vãos do piso térreo, pelos estores térmicos exteriores e ventilação."

"The volume arises from the intention to turn the rooms to the south, moving the complementary program to the north. On this side, where the volume abuts the edge of the plot, the body is narrow, similar to the scale of the neighboring plots, and as you walk down the street, the true volume of the house is revealed. The intention is to read a regular, static volume surrounded by an apparent concrete belt. This plastic band assumes the relationship with the boundaries of the plot and provides a different reading depending on the angle of approach to the built object. At the same time as being a canopy, pergola, railing and sill, this element has an aesthetic function that deconstructs the main volume, giving it lightness and control of scale. The gray facing brick cladding brings the material closer to earth tones, fitting in with the surrounding fields and highlighting the belt. The interior organization of the house is pragmatic and intuitive. At the back of the house is the garage, which gives access to the house via the main entrance and the kitchen on a service path that crosses the laundry room. The entrance goes hand in hand with the garage. It is a focal point of the house's program where it distributes to the social area, through the corridor, or to the intimate area, up the stairs. The social area is made up of a living room and kitchen that are connected to each other, although they can be independent spaces. The exercise of closing off and opening up spaces seeks to make them more flexible and adaptable to new experiences/situations. Also on the first floor are a service toilet and a bedroom with a toilet. The latter will be the space with the most volatile purpose. On the upper floor, there are 2 bedrooms that share a balcony to the south and are served by an IS, and, to the east, the master bedroom with dressing area, IS and patio. This patio serves as an intimate space for the master bedroom and as a way of illuminating the circulation spaces. The interior spaces have a permanent relationship with the outside through the openings, patios and porches. The window frames chosen, the galandaje system, provide an unobstructed connection. In designing the spaces, priority was given to materials and equipment produced in Portugal, such as face brick, window frames, ceramics, sanitary equipment and carpentry. The energy performance of the house benefits from its exposure to the sun, and it is only necessary to use active heating mechanisms in the two coldest months. This performance is assisted by a double-flow controlled mechanical ventilation system. In the hot season, solar incidence is controlled by the concrete belt that protects the first floor openings, the external thermal blinds and ventilation. "