pt
Torre 261 em Amarante do atelier de arquitectura Just an Architect.

“Urbanisticamente, o terreno encontra duas escalas distintas. A Norte, uma escala de edifícios de quatro e cinco pisos, a Sul pela interceção de uma via de acesso ao parque do Rossio, após a qual a escala muda para uma cércea de dois pisos e tipologia de moradia unifamiliar. De modo a não existirem empenas planas e rígidas e tentando relacionar com as várias influências da envolvente, assumimos uma rotação dos pisos levando esse deslocamento a quatro alçados distintos e que provocam movimentos e jogos de sombra particulares. Esta rotação permite fazer um jogo de vivências distintas na qual as orientações dos apartamentos vão sendo diferentes e com pontos de vista diferentes no contato com a paisagem envolvente.

O desenvolvimento do edifício acompanha no piso térreo o angulo que o lote descreve a nascente, iniciando a partir desse ponto as torções do corpo das habitações, assumindo-se o corpo das comunicações verticais como o elemento agregador e que fecha a frente de rua de uma forma regular, mas qua através do seu material de revestimento, visualmente permeável, deixa perceber o desenvolvimento do edifício nos restantes alçados.

A proposta desenvolve-se de forma transversal ao terreno permitindo um maior aproveitamento da exposição solar bem como uma menor necessidade de movimento de terras.

A forma assumida, está assente numa compreensão do local e de toda a sua envolvente, sendo que o piso térreo procura uma relação mais honesta com o terreno à cota baixa, assumindo-se de forma regular em relação à frente de rua, e permitindo assim que os outros pisos fossem refletindo as várias influências da envolvente criando assim pontos de enquadramento distintos para cada um dos pisos e das habitações dando-lhes assim um carácter único e distintivo, sendo cada habitação um elemento com identidades e características próprias. Este jogo de volumes provoca não só enquadramentos de paisagem distintos, mas também permite espaços exteriores singulares, visto esse espaço estar sempre intimamente ligado à relação entra a cobertura do piso inferior e a laje de pavimento do superior.

Neste contexto a caixa de escadas e as comunicações verticais assumem um papel importante pois definem a frente de rua, agregando todos os pisos e estabilizando um alçado bastante marcado pelo movimento e tensões resultantes dessas torções. A proposta contempla um programa com 4 habitações T2 e duas habitações T3. No que diz respeito às habitações T2, todas elas desenham as suas circulações no interior do piso, deixando assim sempre a zona de fachada para as divisões, permitindo o seu contacto com a paisagem e integrando-a em todas as divisões como parte da decoração. O mesmo conceito de integração da paisagem foi transposto para a tipologia T3 sendo que neste caso o facto de ocupar todo o piso permite que a circulação logo após o átrio de entrada na habitação defina claramente o espaço mais público e mais privado da casa, resguardando este último.”
texto. Just an Architect

localização.Amarante
ano. 2021
arquitectura.Just an Architect
fotografia.Ivo Tavares Studio

en
261 Tower in Amarante by Just an Architect.

“Urbanistically, the plot meets two distinct scales. To the North, a scale of four and five storey buildings, to the South by the intersection of an access road to Rossio Park, after which the scale changes to a two-storey scale and single-family dwelling typology. So that there are no flat and rigid gables and trying to relate to the various influences of the surroundings, we assume a rotation of the floors taking this displacement to four distinct elevations that cause particular movements and shadows. This rotation allows for a game of different experiences in which the orientations of the apartments are different and with different points of view in contact with the surrounding landscape.

The development of the building follows on the ground floor the angle that the plot describes to the source, starting from that point the twists of the housing body, assuming the body of vertical communications as the aggregating element that closes the street front of a regular shape, but with its visually permeable cladding material, it reveals the development of the building in the remaining elevations.

The proposal is developed transversally to the terrain, allowing a greater use of the sun exposure as well as a lesser need for earth movement.

The form taken is based on an understanding of the place and its surroundings, and the ground floor seeks a more honest relationship with the ground at low level, assuming a regular basis in relation to the street front, and thus allowing that the other floors were reflecting the various influences of the surroundings, thus creating different framing points for each floor and the dwellings, thus giving them a unique and distinctive character, with each dwelling being an element with its own identities and characteristics. This play of volumes not only provokes distinct landscape framings, but also allows for unique outdoor spaces, as this space is always intimately linked to the relationship between the roof on the lower floor and the pavement slab on the upper floor.

In this context, the stairwell and vertical communications play an important role as they define the street front, aggregating all the floors and stabilizing an elevation quite marked by the movement and tensions resulting from these torsions. The proposal includes a program with 4 apartments typology 2 rooms and two typology 3 rooms. Regarding T2 apartments, all of them draw their circulations inside the floor, thus always leaving the façade area for the rooms, allowing them to be in contact with the landscape and integrating it in all rooms as part of the decoration. The same concept of landscape integration was transposed to the T3 typology, in which case the fact that it occupies the entire floor allows circulation right after the entrance hall of the house to clearly define the most public and most private space of the house, safeguarding this last.”
text. Just an Architect

location.Amarante
year. 2021
architecture.Just an Architect
photography.Ivo Tavares Studio